Em cenário que ainda sofre com a crise hídrica, TRC Sustentável chega à Varginha, Minas Gerais, com soluções em economia de água

 

Com a queda do nível de água nos reservatórios, a crise hídrica teve um de seus períodos mais críticos no ano de 2015. Por conta desse problema, a Usina Hidrelétrica de Furnas, localizada no Estado de Minas Gerais, uma das mais conhecidas do país, também sofreu. No início daquele ano, ela operava com apenas 9,46% da capacidade e o Lago de Furnas estava mais de 15 metros abaixo do limite. Em 2016, esse cenário começou a mudar, mas, até hoje, o local permanece em constante atenção e no foco das atenções quando o assunto é economia de água e consciência ecológica.

E foi nesse cenário que o estudante de administração de empresas Caio Vasconcelos enxergou uma oportunidade de empreendedorismo e viu na franquia TRC Sustentável (Tecnologia em Redução de Custos), uma oportunidade de oferta de um serviço de alta utilidade para a população local. “Encontrar esse nicho de mercado (soluções sustentáveis) como algo promissor parece arriscado, mas, definitivamente, não é, principalmente em um país como o nosso que vive altos e baixos a todo momento, quando o assunto é economia de água”, acredita. Assim, no último dia 13 (março), o jovem abriu as portas da primeira unidade da rede na cidade na cidade Varginha (MG).

E o que a TRC Sustentável pode oferecer nesse contexto? A franquia é a única no Brasil no mercado de franquias a oferecer soluções de economia de água em estabelecimentos residenciais e comerciais. “Esse pioneirismo certamente será um dos maiores diferenciais que apresentaremos em Varginha e região”, acredita ele.

Caio conta ainda que pretende investir firmemente na divulgação do serviço carro-chefe da TRC, o P.G.A., um Projeto de Gestão de Água totalmente legal e ecologicamente correto capaz de reduzir o consumo de água dos clientes em até 60%, assim como nas novidades da marca: as Cisternas Modulares; reservatórios projetados para captar água da chuva e da máquina de lavar que pode gerar uma economia de até 50% no consumo de água do imóvel; e o Sistema Automatizado para Economia de Água; baseado no uso de torneiras sensorizadas, pedais e secadores de mãos que proporcionam 35% a 80% de economia na conta de água do cliente.

E as expectativas de Caio são altas. “Em longo prazo, minha meta é faturar cerca de R$ 100 mil por mês. Em médio prazo, pretendo buscar parcerias para atendimento às demais cidades da região. Nosso intuito é trabalhar num raio de 150 km de Varginha e conquistar clientes em cidades como Pouso Alegre, Alfenas, Lavras, entre outras”, aponta o empresário.

TRC Sustentável Varginha (MG)

Endereço: Avenida Bias Fortes, 61 (sala 5), Centro, Varginha (MG)

Tel.: 35 32210048

SOBRE A TRC SUSTENTÁVEL

A TRC Sustentável (Tecnologia em Redução de Custos) é uma rede voltada para o desenvolvimento e comercialização de projetos voltados à sustentabilidade, auxiliando na preservação do meio ambiente. Fundada em 2004, a empresa adotou o modelo de franchising em 2013 e, atualmente, possui mais de 45 unidades em 15 estados brasileiros. A TRC Sustentável se destaca no mercado por seus projetos e serviços exclusivos que auxiliam na redução de consumo de água significativamente. Entre eles o PGA, um projeto que inclui consultoria, know How, prestação de serviços e dispositivos aplicados que evitam desperdício de água, gerando economia.

Fonte: Portal Segs

Governo federal libera R$ 55,5 milhões para projeto de captação de água no DF

20151228190445-696x457-696x457
Foto: Josemar Gonçalves/Cedoc

Em meio à crise hídrica que enfrenta o Distrito Federal, o presidente Michel Temer autorizou nesta quarta-feira (15) a liberação de R$ 55,5 milhões para que o governo local possa licitar um projeto para captar água do Lago Paranoá. O repasse dos valores terá como objetivo a captação emergencial dos recursos hídricos para, nas palavras do governador do DF, Rodrigo Rollemberg, “minorar e atenuar” os problemas.

Atribuindo a situação às circunstâncias climáticas, Rollemberg afirmou que o volume de chuvas na região nos últimos dois anos foi “muito abaixo da média histórica”. Segundo ele, a Companhia de Saneamento do Distrito Federal (Caesb) divulgará já nesta quinta-feira (16) o pregão eletrônico para a construção das novas estruturas.

As obras envolvem a instalação de uma estação com capacidade para captar 700 litros de água por segundo, por meio de seis tanques. De acordo com o ministro da Integração Nacional, Helder Barbalho, por conta da situação de emergência decretada pelo governo, o DF tem a obrigação de executar o empreendimento em no máximo seis meses.

Barbalho disse que a situação hídrica brasileira alerta para a necessidade de conscientização sobre o uso da água e que é preciso agir de forma “preventiva” para evitar “constrangimentos”. “Além de evitar o racionamento do hoje, nós estamos investindo para que evitemos o colapso do amanhã. Acreditamos que a solução apresentada pelo governo do estado haverá de trazer oferta hídrica e tranquilidade para a população do Distrito Federal”, afirmou.

Desde janeiro, as cidades e regiões abastecidas pelo Reservatório do Descoberto iniciaram um sistema de racionamento no DF. A partir deste mês, as áreas que recebem água do Reservatório de Santa Maria também passaram a contar com interrupção provisória no fornecimento de água.

Em discurso, Temer disse que mora há 30 anos em Brasília e jamais havia lidado com uma crise desse tamanho. “Vejo com alegria governamental e cívica que o governador utilizará de forma emergencial as águas do Lago Paranoá, pois o governador disse que há várias outras medidas sendo planejadas para evitar qualquer hipótese de risco de falta d’água”, afirmou.

“Não haverá nenhum impacto ambiental sobre o lago Paranoá”, garantiu o governador, informando que o DF já possui licenciamento para captar, de forma definitiva, 2 mil litros de água por segundo. Em entrevista após o evento, Rollemberg não garantiu que o Distrito Federal está livre de sofrer um desabastecimento. “A situação em Brasília é muito grave. Mas o quadro para essa seca, que começa no mês de maio, é realmente preocupante. Nós esperamos ainda um volume de chuvas na segunda quinzena de março razoável. Só depois, saberemos a gravidade do desafio que teremos que enfrentar durante todo período da seca”, explicou.

Fonte: Publicado em Jornal do Brasil, no dia 15/03/2017

Conheça os 12 princípios do Consumo Consciente

imagem-consumo-consciente-1020x680Consumir com consciência é consumir diferente, tendo no consumo um instrumento de bem estar e não um fim em si.

1. Planeje suas compras

Não seja impulsivo nas compras. A impulsividade é inimiga do consumo consciente. Planeje antecipadamente e, com isso, compre menos e melhor.

2. Avalie os impactos de seu consumo

Leve em consideração o meio ambiente e a sociedade em suas escolhas de consumo.

3. Consuma apenas o necessário

Reflita sobre suas reais necessidades e procure viver com menos.

4. Reutilize produtos e embalagens

Não compre outra vez o que você pode consertar, transformar e reutilizar.

5. Separe seu lixo

Recicle e contribua para a economia de recursos naturais, a redução da degradação ambiental e a geração de empregos.

6. Use crédito conscientemente

Pense bem se o que você vai comprar a crédito não pode esperar e esteja certo de que poderá pagar as prestações.

7. Conheça e valorize as práticas de responsabilidade social das empresas

Em suas escolhas de consumo, não olhe apenas preço e qualidade do produto. Valorize as empresas em função de sua responsabilidade para com os funcionários, a sociedade e o meio ambiente.

8. Não compre produtos piratas ou contrabandeados

Compre sempre do comércio legalizado e, dessa forma, contribua para gerar empregos estáveis e para combater o crime organizado e a violência.

9. Contribua para a melhoria de produtos e serviços

Adote uma postura ativa. Envie às empresas sugestões e críticas construtivas sobre seus produtos e serviços.

10. Divulgue o consumo consciente

Seja um militante da causa: sensibilize outros consumidores e dissemine informações, valores e práticas do consumo consciente. Monte grupos para mobilizar seus familiares, amigos e pessoas mais próximas.

11. Cobre dos políticos

Exija de partidos, candidatos e governantes propostas e ações que viabilizem e aprofundem a prática de consumo consciente.

12. Reflita sobre seus valores

Avalie constantemente os princípios que guiam suas escolhas e seus hábitos de consumo. Planeje suas compras.

Publicado por Instituto Akatu no site www.akatu.org.br

Entenda a relação entre as árvores e o clima das cidades

1[3]
Entenda por que este elemento da natureza é essencial para garantir a qualidade de vida nas cidades. Imagem: Cidade de Goiânia/GO. Créditos: Google
Plantas e árvores têm papel fundamental na luta contra os gases de efeito estufa e na diminuição da temperatura, mas como as árvores afetam o clima? De várias formas. Quando se fala no desenvolvimento de uma cidade, automaticamente a ideia é de que o lugar evolua no que diz respeito à estrutura oferecida para seus cidadãos. Por outro lado, o movimento de urbanização é também responsável por uma série de alterações na relação entre aquele espaço e o meio ambiente.

Dentre todas as mudanças está o aumento da impermeabilização nos centros urbanos, além dos grandes níveis de gases poluentes emitidos de maneiras diferentes. Desta forma, o resultado é a transformação do clima nas cidades, fazendo com que sofram com temperaturas mais altas e baixa umidade relativa do ar como principais conseqüências.

Para explicar este processo, é preciso identificar uma das características mais comuns ao asfalto e construções presentes nas cidades, que é a absorção e armazenamento do calor gerado pela energia do sol (ex: o mormaço), responsável por elevar ainda mais a temperatura dentro deste ambiente. O papel das árvores entra justamente nesta fase, com a tarefa de amenizar o desequilíbrio ecológico criado pela grande concentração de gases carbônicos.

Por essa razão, a natureza tem uma função tão importante dentro deste espaço, que é reparar, dentro do possível, os estragos causados pelo dióxido de carbono (CO2), principal causador do efeito estufa. Isso acontece principalmente durante a fotossíntese, quando as plantas removem o CO2 na atmosfera e, conseqüentemente, ajudam a diminuir a concentração desse gás.

Também com as árvores, a formação de mais sombras ajuda a tornar o ambiente mais fresco, através da evapotranspiração, responsável por liberar a umidade no ar. Assim, mesmo que indiretamente, as árvores podem ser consideradas como um dos fatores mais importantes para diminuir o aquecimento global.

Por isso, quando for reclamar do calor, corte mais uma árvore para ver se ameniza. Todos gostam de sombra, porém poucos cuidam das árvores. Pense nisso!

Emmanuel Tomaz, com informações do Planeta Sustentável