Minas Gerais é a aposta de franquias para expansão em diversos segmentos

^DD4303506D9D10AF67C41F138E0902553CE3E65E0380AE7F19^pimgpsh_fullsize_distr
Franqueados Gabriel Lobato e Rafael Gôuvea de Juiz de Fora/MG

O segmento de franchising continua sendo uma ótima alternativa aos que desejam investir em um novo negócio. Somente no primeiro trimestre deste ano, a receita do setor cresceu 9,4% em relação ao mesmo período de 2016. O faturamento passou de R$ 33,710 bilhões para R$ 36,890 bilhões, segundo dados divulgados recentemente pela Associação Brasileira de Franchising (ABF).

São Paulo e Rio de Janeiro continuam sendo os Estados mais procurados para o momento de investir, no entanto, Minas Gerais, que se encontra na quarta posição, é um dos estados que vem crescendo a passos largos.

Quando o assunto é ampliação de negócios, a capital mineira, Belo Horizonte e arredores, é um dos lugares que chama a atenção das franqueadoras devido ao grande número de habitantes e pelo potencial de crescimento para expansão de redes.

 

SUSTENTÁVEL

É possível observar cada vez mais medidas sustentáveis com o universo empresarial, tendo em vista a preocupação com as questões ambientais, sociais e éticas, a consciência sobre a importância da preservação do planeta vem sendo levada a sério no mundo dos negócios.

A franquia TRC Sustentável também é modelo de negócio direcionado ao meio ambiente que busca economizar água, já que várias partes do Brasil registraram nos últimos anos o problema de abastecimento.

Em BH, a marca que já possui uma unidade em operação, estima encerrar 2017 com ao menos mais duas unidades, visto que a cidade abriga mais de 2,5 milhões de habitantes, o que caberia até 12 unidades, levando em conta que a franquia sempre abrange uma área de até 200 mil habitantes.

Anderson Silva, diretor executivo da rede TRC Sustentável, salienta que apesar da companhia de abastecimento da região, afirmar que uma crise hídrica está descartada na região, a TRC reforça sobre a redução de custos. “Em se tratando de economia financeira, todos querem reduzir gastos. A implantação do PGA (Projeto de Gestão da Água), e outros serviços da rede reduz o consumo e gera economia. E, hoje, os maiores custos de empresas e residências são de energia elétrica e água. Devido a isso, nossa expectativa de expansão é atingir BH, mas também qualquer outra região do país. Independente se ela passa ou não por uma crise hídrica”, enfatiza.

Fonte: Portal Novidade, publicado em 01/06/2017. Clique aqui para ler o texto na íntegra!