Um estudante de Campina Grande ganhou um prêmio internacional após desenvolver um tijolo sustentável. O projeto, idealizado pelo estudante do oitavo período de Engenharia Civil, Daniel Pessanha, de 22 anos, foi premiado após apresentação na Brazil Conference – evento realizado na Universidade de Harvard, nos Estados Unidos, que seleciona projetos com potencial de crescimento exponencial e busca solucionar problemáticas no Brasil.

O projeto “Tijopor” rendeu ao aluno umas das cinco primeiras colocações na etapa final do evento, onde as ideias são premiadas com investimentos. De acordo com Daniel Pessanha, foram mais de três anos de pesquisa para chegar a um produto pronto e o resultado foi um tijolo sustentável feito com isopor, gesso e uma quantidade mínima de água.

Segundo o estudante, o projeto “Tijopor” nasceu da necessidade de desenvolver um tijolo sustentável que não passa pelo processo de queima, como um tijolo comum, além de impactar positivamente no meio ambiente.

Com a promessa de revolucionar o mercado da construção civil no Brasil e no mundo, o aluno trabalhou na pesquisa e desenvolvimento do protótipo do “Tijopor” no Grupo de Pesquisa em Engenharias Gerais (NPEG) do Centro Universitário Maurício de Nassau, onde estuda em Campina Grande.

Projeto aprovado para apoio intelectual e financeiro

O projeto foi aceito no concurso Hack Brazil que, para os selecionados, é a primeira parte da Brazil Conference. Ao todo, foram mais de 3 mil inscritos no programa. Desses inscritos, apenas 300 estudantes foram convocados para enviar um vídeo explicativo sobre a ideia. Após avaliação, 35 alunos foram escolhidos para viajarem e apresentarem os projetos no evento em Harvard, nos Estados Unidos.

Na oportunidade, o “Tijopor” foi um dos projetos aprovados que garantiu apoio intelectual e financeiro a partir de mentorias, viagens e reuniões com possíveis investidores em negócios nascentes.

Além do apoio intelectual e financeiro, com o projeto Daniel conseguiu aprovação para participar do evento na universidade de Harvard e estudar a ideia de negócio nos laboratórios do Massachusetts Institute of Technology (MIT), uma universidade privada de pesquisa localizada em Cambridge, Massachusetts, nos Estados Unidos.

Apresentação do projeto em outros países

Além da apresentação do “Tijopor” na Brazil Conference, desde abril de 2018 o aluno está estudando e trabalhando no projeto internacionalmente. Com o projeto, orientado pela professora Cristiane Rodrigues, Daniel já esteve em países da Europa e América do Norte.

O aluno diz que, assim como na Brazil Conference, as experiências servem de vitrine para o projeto. “São nesses eventos que temos a oportunidade de conversar com investidores e pessoas influentes no empreendedorismo. Além disso, os finalistas ganham possibilidades de pós-graduação nas universidades de Harvard e MIT”, relata o estudante.

Em agosto, o estudante viveu outras experiências com o projeto “Tijopor”. Daniel representou o Brasil em eventos realizados pela Organização das Nações Unidas (ONU) nas cidades de Washington, New York e New Jersey, nos Estados Unidos. O aluno foi convidado pela própria embaixadora dos jovens na organização, Susana Sakamoto.

Busca por investimentos externos no Brasil

Daniel explica que já está na busca por investimentos externos aqui no Brasil. O aluno tem como objetivo fechar parcerias com cooperativas e associações de catadores de resíduos sólidos, motivando-os a coletar o isopor que é descartado em locais impróprios. Ele diz que é preciso conscientizar o poder público sobre a contribuição do projeto para os municípios no que diz respeito à sustentabilidade.

O estudante acredita que, com as métricas certas e metas atingidas a longo prazo, é possível que o “Tijopor” ganhe larga escala no Brasil e possivelmente no mundo. “O momento agora é de realinhar novas oportunidades de investimentos e disponibilizar o produto no mercado brasileiro”, conclui ele.

Fonte: G1